Trufa de Café e Licor de Café

As trufas de chocolate tradicionais têm o seu formato
irregular inspirado nas trufas naturais que são fungos subterrâneos
muito apreciados na alta gastronomia.
Seu formato é irregular, desenvolvem-se a uma
profundidade de 20 a 40 cm e são encontradas com o auxílio de cães
especialmente treinados.
Naturalmente antes de serem processadas as trufas
naturais estão cobertas de terra e por isso as trufas de chocolate
originais são disformes e cobertas com cacau em pó.
Mas as trufas formadas por casquinhas de chocolate e
recheio macio, cremoso e licoroso também ganharam o coração dos
apaixonados por chocolate.
Além de belas e deliciosas, são também muito práticas, sendo mais fáceis de embalar.
E como nem todo mundo tem o hábito de comprar bebidas
alcoólicas, no final da postagem coloco a receita de licor de café.
Para ver outras receitas de bombons e licores acesse oÍndice 3.

Ingredientes:

– 1 lata de creme de leite com soro;
– 600 g de chocolate meio amargo;
– 1 colher (das de sobremesa) de café solúvel;
– 2 colheres (das de sopa) de conhaque ou licor de café;
– 100 g de nozes picadas;
– 500 g de chocolate meio amargo para cobertura.

Em uma panela, coloque o creme de leite e leve ao fogo até começar a ferver.

Desligue o fogo, acrescente o chocolate meio amargo picado e misture bem até o chocolate derreter.
Misture o café e acrescente o licor.
Acrescente as nozes picadas.
Transfira para um recipiente, tampe e leve à geladeira até firmar.

Como já falei nas postagens anteriores, existem 3 maneiras de finalizar uma trufa:
1- passando as trufas em chocolate em pó;
2- banhando as trufas em chocolate temperado;
3- colocando a trufa dentro de casquinhas preparadas em formas de acetato.

1- Com uma colher, retire pequenas porções da mistura,
molde as trufas e passe-as em chocolate em pó (imagens 1 e 2 da foto abaixo).

2- Modele as trufas de forma irregular (como são as naturais) (imagens 3, 4, 5, 6 e 7 da imagem acima).
Leve novamente à geladeira por mais 30 minutos.
Em seguida, derreta o chocolate para a cobertura de acordo com as instruções da embalagem.
Retire as trufas do freezer em pequenas quantidades (de
10 em 10) e, com um garfo, banhe-as no chocolate derretido.
Coloque as trufas sobre uma forma forrada com papel alumínio e leve à geladeira até secar.

3- Prepare casquinhas para trufa como na postagem anterior.
Acrescente mais 100 ml de creme de leite à massa de trufas e coloque porções deste recheio dentro de cada casquinha, com auxílio de uma colher (imagens 8, 9, 10, 11 e 12 da foto acima).
Deixe o recheio firmar (na geladeira vai mais rápido) e cubra com mais chocolate temperado, fechando as trufas.
Espere esta casquinha secar e desenforme as trufas.

Licor de café:

– 300 ml de álcool de cereais ou aguardente;
– 3 colheres (das de sopa) de café em pó extra forte;
– 450 g de açúcar refinado ou cristal;
– 200 ml de água mineral ou muito bem filtrada.

As proporções são bem flexíveis, já que o gosto pessoal vai determinar a intensidade do licor e a doçura.

Coloque o pó de café dentro de um pote bem limpo e esterilizado. Como eu não costumo ter bebidas alcoólicas em casa, comprei aguardente em embalagens de 500 ml e usei um deles para macerar o café.
Guarde esta mistura em um armário seco e bem protegido por 1 a 2 meses.
Prepare uma calda com o açúcar e a água, na proporção de 1 medida de açúcar para 1/2 medida de água.
Por exemplo: para cada quilo de açúcar use 500 ml de água mineral ou bem filtrada.
Misture a água e o açúcar e leve ao fogo, sem mexer mais, para que a calda não açucare.
Espere chegar em ponto de pérola.

Mergulhe uma colher na calda e retire-a, sem mexer na calda, apenas faça 2 movimentos: mergulhar a colher e suspendê-la.
Deixe a calda da colher escorrer e, quando o excesso cair, a calda restante vai escorrer formando gotas. Quando fria, esta calda terá a consistência de mel.
Coe a essência de café, que ficou macerando por 2 meses, usando uma peneirinha de plástico.
Meça esta essência e acrescente 1 a 2 vezes a mesma medida de calda fria.
Prove para saber se está a seu gosto.

Existe álcool de cereais a 95º. Como eu não tenho o hábito de beber, preferi usar uma aguardente a 45º.
Se o licor estiver muito fraco, acrescente mais aguardente.
Se estiver muito forte, acrescente mais calda.
Como já disse, esta mistura depende muito do gosto pessoal.
Depois de misturar a calda à essência, coloque um filtro de papel dentro de um funil, coloque uma porção de algodão hidrófilo e coe a mistura.
Envase e já pode consumir, embora muitas pessoas prefiram deixar esta mistura curtindo por mais 2 meses.
Se for começar a comercializar o licor, é preciso um estudo mais profundo para aprender sobre utensílios, espaço adequado e legislação, mas este licor, feito com as condições ideais de higiene, pode ser vendido com o prazo de validade de 3 a 5 anos.
Mas ele realmente não tem prazo de validade, durando bem mais do que 5 anos.
Para saber mais detalhes sobre o preparo dos licores leia Segredos para preparar licores.

Para ver outras receitas de bombons e licores acesse o Índice 3.