Maria Mole e Sorvetinho Quente da Marine

Este era um dos meus doces de cantina favoritos, nas duas versões, maria mole e sorvetinho quente, como é conhecido no Rio de Janeiro.
É muito simples de fazer, embora um pouco trabalhoso.
Mas se você envolver a criançada no preparo, este trabalho vai virar uma deliciosa brincadeira.
Uma lembrança para a vida toda.
E quem faz aqui em casa é a Marine, cabendo a mim fotografar e editar.
Trabalho de equipe!!!!!

Para ver outras receitas de doces de cantina e genéricos acesse oÍndice 3.

Receita tradicional:

– 12 folhas de gelatina sem sabor (ou 2 envelopes de gelatina em pó ou 3 colheres, das de sopa);
– 50 ml de água fria;
– 200 ml de água fervente;
– 500 g de açúcar;
– manteiga para untar;
– coco ralado seco ou açúcar cristal ou confeitos granulados;
– 5 gotas de essência (de sua preferência);
– Corante alimentício em gel (cor de sua preferência).

Numa potinho, coloque a gelatina sem sabor e hidrate com 50 ml de água fria.
Adicione 200 ml de água quase fervente e mexa bem até que a gelatina esteja completamente dissolvida.

Numa batedeira, coloque o açúcar e adicione a gelatina dissolvida.
Bata em velocidade média por cerca de 5 min.
Se desejar, neste momento, adicione 5 gotas da essência e o corante de sua preferência.
Aumente a velocidade para alta e continue batendo por mais 10 min.
Desligue a batedeira.
Numa forma retangular (21 cm x 29 cm x 3 cm de altura), untada com manteiga e polvilhada com coco ralado ou açúcar cristal, despeje a maria-mole.
Com o auxílio de uma espátula, alise a superfície.

Polvilhe mais coco ou açúcar e leve à geladeira por, no mínimo, 1h.
Retire da geladeira, corte da maneira que quiser e passe os pedaços no coco ralado seco ou no açúcar cristal.
Se preferir, coloque a massa em uma manga de confeiteiro com bico pitanga bem grande e modele tiras ou pitangas.
Para modelar tiras, como as marias moles vendidas nas cantinas, encoste o bico pitanga na borda da assadeira polvilhada com coco ou açúcar.
Aperte até atingir a largura desejada para a maria mole.
Comece a afastar o bico da borda sempre liberando a massa que está na manga de confeitar, até chegar à outra borda da assadeira.
Leve para gelar por 1 h e passe no açúcar ou no coco ralado, depois de firmada.

Já para fazer as marias moles circulares, pressione o bico pitanga perpendicularmente na assadeira polvilhada, até chegar no tamanho desejado.
Leve para gelar e torne a passar no coco ou no açúcar ou em confeitos coloridos.

Maria mole com sabor

– 12 folhas de gelatina sem sabor (ou 2 envelopes de gelatina em pó ou 3 colheres, das de sopa);
– 1 sachê de gelatina de uva (ou o sabor de sua preferência);
– 50 ml de água fria;
– 200 ml de água fervente;
– 300 g de açúcar;
– manteiga para untar;
– coco ralado seco ou açúcar cristal ou confeitos granulados;
– corante alimentício em gel (cor compatível com o sabor escolhido).

Em um potinho hidrate a gelatina incolor com os 50 ml de água fria.
Leve para ferver os 200 ml de água e dissolva a gelatina com sabor.
Depois de dissolver a gelatina com sabor, acrescente a gelatina sem sabor e misture muito bem.

Coloque esta mistura de gelatinas na batedeira com o açúcar.
Nesta segunda receita eu diminui a quantidade de açúcar porque a gelatina com sabor é doce, mas a quantidade de açúcar pode variar de acordo com o gosto pessoal.
Bata por 5 minutos em velocidade média, para encorpar a gelatina.
Repare que nesta hora a gelatina perde a cor, por isso, se quiser uma cor mais acentuada acrescente gotas de corante alimentício a gosto. No caso da gelatina de uva, acrescente 2 a 4 gotas de rosa e 2 a 4 gotas de azul para chegar em um tom lilás. Se quiser um tom mais roxo, troque o rosa por vermelho.
Aumente a velocidade para alta e continue batendo por mais 10 min.
Desligue a batedeira.

Numa forma retangular (21 cm x 29 cm x 3 cm de altura), untada com
manteiga e polvilhada com coco ralado ou açúcar cristal, despeje a
maria-mole.
Com o auxílio de uma espátula ou colher, alise a superfície.

Polvilhe mais coco ou açúcar e leve à geladeira por, no mínimo, 1h.
Retire da geladeira, corte da maneira que quiser e passe os pedaços no coco ralado seco ou no açúcar cristal.
Se preferir, coloque a massa em uma manga de confeiteiro com bico pitanga bem grande e modele tiras ou pitangas.

Para modelar tiras, como as marias moles vendidas nas
cantinas, encoste o bico pitanga na borda da assadeira polvilhada com
coco ou açúcar.
Aperte até atingir a largura desejada para a maria mole.

Comece a afastar o bico da borda sempre liberando a massa que está na
manga de confeitar, até chegar à outra borda da assadeira.
Leve para gelar por 1 h e passe no açúcar ou no coco ralado, depois de firmada.
Já para fazer as marias moles circulares,
pressione o bico pitanga perpendicularmente na assadeira polvilhada,
até chegar no tamanho desejado.
Leve para gelar e torne a passar no coco ou no açúcar ou em confeitos coloridos.

Casquinhas impermeabilizadas

– 12 casquinhas de sorvete;
– 170 g de chocolate ao leite ou 1/2 amargo ou branco.

Existem suportes próprios para cones, mas se a sua produção é apenas para consumo familiar, não há necessidade de investir neste tipo de produto.
Guarde as bandejinhas de isopor que vêm com frios ou frutas e prepare-as para suporte dos cones.
Marque os espaços que serão furados usando as próprias casquinhas como gabarito.
Fure nos lugares marcados, usando um cortador de biscoito ou uma faquinha ou estilete.

Coloque água para aquecer sem deixar ferver.
Assim que as primeiras bolhinhas surgirem, desligue o fogo.
Coloque metade do chocolate, já picado, em uma panela bem seca e coloque a panela na água quente.
Mexa até derreter esta porção chocolate.
Retire a panela do banho-maria e coloque o chocolate restante, mexendo até que tudo esteja derretido.
Preencha algumas casquinhas de sorvete com o chocolate, deixando chegar até a borda.
Retire o excesso de chocolate de uma casquinha, passando-o para outra casquinha.
Coloque as casquinhas emborcadas sobre papel alumínio e deixe o chocolate endurecer.
Vai levar poucos minutos, se o chocolate foi trabalhado como explicado acima.
Chocolate endurecido, prepare a maria mole e preencha as casquinhas.
Se não for feita esta impermeabilização com chocolate, a umidade da massa de maria mole vai amolecer as casquinhas.

Sorvetinho quente

– 12 folhas de gelatina sem sabor (ou 2 envelopes de gelatina em pó ou 3 colheres, das de sopa);
– 1 sachê de gelatina de maracujá (ou o sabor de sua preferência);
– 50 ml de água fria;
– 200 ml de água fervente;
– 300 g de açúcar;
– manteiga para untar;
– coco ralado seco ou açúcar cristal ou confeitos granulados;
– corante alimentício em gel (cor compatível com o sabor escolhido);
– 12 casquinhas de sorvete impermeabilizadas com chocolate.

Em um potinho hidrate a gelatina incolor com os 50 ml de água fria.
Leve para ferver os 200 ml de água, desligue o fogo e dissolva a gelatina com sabor.
Depois de dissolver a gelatina com sabor, acrescente a gelatina sem sabor e misture muito bem.

Coloque esta mistura de gelatinas na batedeira com o açúcar.

Aqui também eu diminui a quantidade de açúcar
porque a gelatina com sabor é doce, mas a quantidade de açúcar pode
variar de acordo com o gosto pessoal.
Bata por 5 minutos em velocidade média, para encorpar a gelatina.

Repare que nesta hora a gelatina perde a cor, por isso,
se quiser uma cor mais acentuada acrescente gotas de corante alimentício
a gosto. No caso da gelatina de maracujá, acrescente 8 a 10 gotas de amarelo.
Aumente a velocidade para alta e continue batendo por mais 10 min.
Desligue a batedeira.
Coloque a massa em uma manga de confeitar com bico pitanga e preencha as casquinhas preparadas.
Forme a “bola de sorvete” e deixe endurecer.
Passe os sorvetinhos em açúcar refinado ou açúcar cristal ou coco ralado.

Para ver outras receitas de doces de cantina e genéricos acesse o Índice 3.